Menopausa, como melhorar os sintomas
Disposição física e mental com alimentação balanceada

O que é menopausa? 

Menopausa é a união de duas palavras gregas que de forma simples significam mês e fim¹. Climatério como também é conhecido o período que acontece o fim da vida reprodutiva e o fim da menstruação¹. A OMS (Organização Mundial de Saúde) usa da nomenclatura perimenopausa, ou seja, não é apenas a última menstruação, é um período que pode durar por anos¹. A OMS explica que a menopausa é a fase da vida da mulher que os ovários deixam de funcionar e a produção hormonal diminui e consequentemente o corpo passa por diversas mudanças fisiológicas, sintomas podem surgir, em geral são passageiros, porém não menos desagradáveis e às vezes incapacitantes¹.

Quais são as principais causas da mudança de humor na menopausa?

As principais causas são mudanças no sono, peso, memória, libido, sensação súbita de calor e sangramento intenso². O calor súbito comumente se inicia no tórax e evolui para o pescoço e face, muitas vezes esse calor também traz a ansiedade e suor². A falta de sono, e baixos níveis de estrogénio (hormônio responsável pela ovulação e outras características femininas), fazem essa situação ser mais intensa, a falta de libido também está diretamente conectada aos fatores hormonais, com o passar dos anos a memória diminui e a dificuldade de associar novas atividades e antigas lembranças, todos esses acontecimentos são naturais e fazem parte do ciclo da vida². Esses sintomas interferem diretamente no humor da mulher², a perimenopausa é um dos que apresenta maior risco de desenvolvimento de sinais da depressão, provocando mais nervosismo, choro fácil, falta de disposição e atenção². Os baixos níveis de estrogênio também estão relacionados ao aumento de chances do desenvolvimento de osteoporose pois esse hormônio age como uma proteção natural aos ossos da mulher.

Por isso é de grande importância o acompanhamento com médicos e nutricionistas que podem monitorar as deficiências nutricionais e suplementar com cálcio, magnésio, menaquinona e vitamina D quando encontrarem a necessidade.

Como tratar os sintomas da menopausa?

Se você acha que pode estar passando pela perimenopausa, procure um médico especialista, para que o acompanhamento durante esse período seja o mais apropriado para atender as suas individualidades. Alguns hábitos ao longo do dia podem trazer mais qualidade de vida ou o oposto. A prática de atividade física, é importantíssima, treinos de relaxamento, reduzir o consumo de bebidas alcóolicas, parar de fumar, diminuir a temperatura dos alimentos consumidos também pode ser aplicado². Em mulheres na perimenopausa alguns nutrientes, podem apresentar deficiência³, dentre os muitos, podemos destacar, a vitamina D, cálcio, também é comum a baixa ingestão de proteína e alto consumo de carboidratos³, os níveis de ômega 3 também podem se apresentar mais baixos nessa fase⁴. 

Quais os benefícios da alimentação equilibrada? 

 A alimentação adequada a individualizada, está diretamente ligada a saúde em todas as fases da vida da população, o atendimento com um nutricionista pode ajudar o paciente a reduzir diversos destes sintomas da menopausa. Como citado acima, a falta de ômega 3 é comum na perimenopausa⁴, o consumo deste nutriente essencial, como terapia alternativa para os sintomas da menopausa tem sido associado a muitos beneficios nos níveis lipídicos, e prevenção de doenças cardíacas⁴. A osteoporose é um fator de risco em mulheres na pós-menopausa, o cálcio é um grande aliado, mas o cálcio necessita da vitamina D para ser absorvido, na grande maioria das vezes a vitamina D se apresenta abaixo da quantidade adequada⁵, o mineral magnésio também é importante para a absorção correta do cálcio e tem igualmente ação protetora contra fraturas ósseas ⁶. O consumo adequado de proteínas é indispensável, para reduzir os sintomas da menopausa, pois está ligada a densidade óssea e a musculatura, além de participar da manutenção de diversos tecidos (pele e outros órgãos internos), por isso a nutrição é fundamental neste processo⁶.

Atenção: este é um espaço informativo, sobre saúde, bem-estar e nutrição, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Referências; 

  1. TRECH, Belkis; SANTOS, Claudete Gomes. Menopausa ou menopausa? Saúde e Sociedade v.14, n°1, abril de 2005.  
  2. CAVADAS, Luís Filipe; NUNES, Ana; PINHEIRO, Marisa; SILVA, Pedro Tiago. Abordagem da menopausa nos cuidados de saúde primários. Acta. Med. Port. 2010. 
  3. FARIAS, Francisco Alfredo Bandeiras. Prevalência de osteoporose, fraturas vertebrais, ingestão de cálcio, e deficiência de vitamina D em mulheres na pós-menopausa. Ministério da Saúde, Fiocruz, Fundação Oswaldo Cruz. Recife, março de 2003. 
  4. GUERRA, Thais de Rezende; BOAVENTURA, Gilson Teles. Consumo de fitoestrógeno linhaça e níveis lipídicos na menopausa: o que há de evidência? Universidade federal Fluminense – Niterói (RJ), Brasil, 2016. 
  5. LANZILOTTI, Haydée Serrão, et. al. Osteoporose em mulheres na pós-menopausa, cálcio dietético e outros fatores de risco. Junho de 2001. 
  6. BRONDANI, Juliana Ebling. Consumo alimentar de cálcio, fósforo, magnésio e proteínas e estado nutricional em mulheres hospitalizadas pro fraturas osteoporóticas em um hospital universitário. Santa Maria-RS, Brasil, 2015. 

Cadastre-se para receber novidades e promoções

Cadastre-se para receber as novidades do nosso time

Sucesso! você está cadastrado!

Pin It on Pinterest

Share This